Buscar: Newsletter:

Justiça

À ONU, Lula denuncia partidarismo de Sérgio Moro ao julgá-lo

DO BAHIA TODO DIA 29/07/2016 | 21h00

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva protocolou esta semana uma petição na ONU (Organização das Nações Unidas), argumentando violação dos direitos humanos na condução da Operação Lava Jato. Lula recorreu ao advogado especializado em direitos humanos, Geoffrey Robertson, que ficou conhecido por defender Julian Assange, fundador do Wikileaks. 

Na petição, Robertson acusa o juiz Sérgio Moro de abuso de poder e diz que o caso vai expor o problema da prisão preventiva e das condenações "injustas" no Brasil, que são feitas baseadas em confissões de suspeitos que só querem sair da prisão; "Este sistema viola os direitos humanos fundamentais e já foi condenado por órgãos da ONU", diz o avogado.

Essa situação exposta por Lula já havia sido bem definida pelo professor Paulo Sérgio Pinheiro, em artigo no Le Monde Diplomatique, neste mês. Com formação em História e Direito, ex- ministro da Secretaria de Estado de Direitos Humanos no governo FHC, ele avaliou assim o país de hoje: "Para piorar as coisas, nessa situação de crise, as duas forças que seriam cruciais para garantir o espaço democrático, dão mostras de total conivência com a degradação em curso. O Judiciário alterna omissão e intervenções deliberadas a favor do pacto elitista. A grande mídia dispensa qualquer análise crítica, pois abraçou e adulou o golpe (contra Dilma) desde o primeiro dia."

O jornalista Paulo Moreira Leite, em artigo no site Brasil247, diz que a iniciativa de Lula “mostra uma verdade importante, que é preciso encarar, ainda que seja dolorosa de reconhecer: a defesa dos direitos e garantias individuais no Brasil da Lava Jato tornou-se uma luta travada em situação desesperadora, na qual uma vítima, mesmo o cidadão que ocupou a presidência da República por dois mandatos, não tem a quem recorrer e precisa buscar auxílio internacional para proteger seus direitos.”

Corajoso e sabendo que não haverá justiça na conclusão das investigações que a Operação Lava Jato vem conduzindo, Lula resolveu escancarar ao mundo que o Brasil vive uma situação anormal, que nada tem a ver com democracia. É mais um a coloca aos olhos do mundo o juiz partidário Sérgio Moro, o sistema judiciário nacional e o golpe midiático-parlamentar em curso no país.



Bahiatododia - o site da notícia - © Copyright 2011 a 2016 | Todos os direitos reservados.