Buscar: Newsletter:

Criança

Prevenção de acidentes com crianças

Quatro mil morrem por ano no Brasil

DO BAHIA TODO DIA | 28/07/2013 | 18h33


Dados do Ministério da Saúde revelam que 4,7 mil crianças morrem e mais de 125 mil são hospitalizadas anualmente no Brasil em decorrência de acidentes. Na faixa entre 1 e 14 anos, os acidentes de trânsito, afogamentos, sufocações, queimaduras, quedas, intoxicações, acidentes com armas de fogo e outros configuram a principal causa de morte e a terceira de hospitalização.

Diante da incidência, o Departamento de Segurança Infantil da Sociedade Baiana de Pediatria (Sobape) apoia o Dia da Prevenção de Acidentes com Crianças, celebrado em 30 de agosto. Numa iniciativa da ONG Criança Segura, a data foi instituída para incentivar ações ligadas à prevenção de acidentes com crianças, promovendo maior conscientização sobre o tema.

Presidente do Departamento de Segurança Infantil da Sobape, a pediatra Márcia Barreto alerta para os altos índices registrados no país e diz que os acidentes não podem ser tratados como algo imprevisível. “Há algum tempo, o modelo agente/ hospedeiro/ ambiente usado para descrever a epidemiologia das doenças transmissíveis tem sido adaptado para o estudo dos acidentes na infância”, explica.

A pediatra ressalta ainda a implicação de fatores de risco favoráveis à ocorrência de acidentes, como questões sociais/econômicas, idade e sexo. “Entre outros aspectos, estudos epidemiológicos mostram, por exemplo, que os meninos acidentam-se cerca de duas vezes mais que as meninas, devido a características comportamentais ligadas ao sexo”, ilustra.

Pediatra

Citando a Organização Mundial da Saúde (OMS) cujos dados revelam que 45% dos acidentes no mundo acontecem em ambientes domésticos, Márcia Barreto destaca a importância do papel do pediatra no estímulo à prevenção no consultório.

“Os pediatras devem incluir orientações às famílias, sobretudo esclarecendo as características de cada etapa do desenvolvimento da criança e os principais riscos”, diz Márcia Barreto, também considerando fundamental o papel das escolas e creches em prol da redução das estatísticas.

Com relação à mortalidade e morbidade, os dados revelam que para cada óbito por acidentes haja 80 casos de hospitalização com lesões graves e 1.500 casos de atendimento em salas de emergência, ilustra Márcia Barreto.

Prevenção

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e ONG Criança Segura listam algumas dicas de prevenção de acidentes. Veja:

- Janela com grade protetora e sem objetos por perto

- Tomadas com protetores

- Piso antiderrapante

- Quinas/cantos de móveis arredondados ou com protetor

- Fios de eletrodomésticos não devem ficar à mostra

- Não deixar objetos pequenos ou pontiagudos espalhados pela casa

- Usar proteção nas escadas

- Portas e gavetas de armários devem ter chaves inacessíveis às crianças

- As grades laterais de berços devem ser altas e as barras devem ter intervalos menores que 6cm

- O pescoço de bebês e crianças deve estar livre de enfeites e cordões de chupetas

- No fogão, não deixar cabos de panelas para fora e fechar o registro do gás

- Não manipular alimentos no fogão com crianças no colo

- Medicamentos e produtos de limpeza e/ou inflamáveis devem estar fora do alcance das crianças, assim como sacos plásticos

- Guardar bem tesouras, alicates e outros objetos perfurocortantes

- Piscinas devem ser cercadas e mantidas cobertas com lonas ou redes de proteção.



Bahiatododia - o site da notícia - © Copyright 2011 a 2016 | Todos os direitos reservados.